Apreenda a expandir seu negócio

COMO EXPANDIR UM NEGÓCIO

como expandir um negócio
Conheça os dez mandamentos para a manutenção e expansão do seu negócio.

1. INOVAR EM PROCESSO E PRODUTO

É introduzir, constantemente, novidades que atraiam os clientes ou também desenvolver novos processos para garantir o bom atendimento e para reduzir custos na produção.

2. MONITORAR A CONCORRÊNCIA

É importante saber quem são os seus principais concorrentes, os preços praticados e suas estratégias, como promoções, novidades oferecidas aos clientes, planos de expansão etc. Navegar pelo site do concorrente e freqüentar como consumidor estabelecimentos similares são boas dicas.

3. INFORMATIZAR A GESTÃO DO NEGÓCIO

O mercado oferece uma série de softwares que auxiliam na contabilidade, controle de estoques, cadastro de clientes , contas a receber e a pagar etc . Essas ferramentas são muito úteis e garantem maior confiabilidade e rapidez na gestão. É importante escolher o software de acordo com as necessidades do seu negócio e a disponibilidade de seu investimento. Em alguns casos, o seu contador pode ajudar a escolher os softwares adequados à gestão do seu negócio. Uma dica é consultar outros empresários de seu relacionamento que já utilizam essas ferramentas.

4. MANTER PROGRAMAS DE TREINAMENTO E ATUALIZAÇÃO PARA A EQUIPE

Os funcionários devem estar alinhados com o que pensa o proprietário da empresa. De nada adianta o proprietário acreditar que o bom atendimento é fundamental, se não realiza treinamentos com seus funcionários para isso. A capacitação constante também é importante para manter a equipe focada e motivada.

5. BUSCAR A MELHORIA NO ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR E IMPLANTAR PROGRAMAS DE FIDELIZAÇÃO

A propaganda boca a boca sempre foi uma eficiente ferramenta de marketing. Um cliente bem atendido certamente volta e recomenda o serviço ou produto para os amigos. Você pode implementar açòes mais aprimoradas, como manter redes sociais para relacionamento com seu público, ou até mesmo praticar ações mais simples, como caixas de sugestão e cartões de fidelidade.

6. MANTER ESTOQUES MÍNIMOS NECESSÁRIOS E NEGOCIAR BONS PRAZOS E PREÇOS COM OS FORNECEDORES

É importante que o empresário esteja atento à quantidade de estoque necessária para sua operação. Excesso de estoques não são recomendados, pois isso tem um custo. Ao mesmo tempo, não há nada pior do que um cliente que pede um produto e você não tem mais para entregar. Fique atento ao movimento do seu negócio para ter noção exata do quanto você precisa comprar. É bom lembrar que os produtos mais caros devem ser estocados em menor quantidade que os demais, mas não podem faltar.

7. MONITORAR OPORTUNIDADES

É importante manter a visão de mercado, acompanhar o que está acontecendo em torno de você e do seu negócio. É importante se manter sempre atualizado e adaptar seu negócio às tendências do mercado.

8. BUSCAR OPORTUNIDADES DE PARTICIPAR DE LICITAÇÕES DO GOVERNO E COMPRAS GOVERNAMENTAIS EM GERAL

Em 2006, foi aprovada a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que prevê benefícios para os pequenos negócios nas compras de governo. Uma boa dica é checar os editais de compras das prefeituras e secretarias do seu Estado ou entrar em contato com as comissões de licitação desses órgãos. O governo é o maior comprador do Brasil!

9. BUSCAR INSERÇÃO NAS CADEIAS DE FORNECIMENTO DAS GRANDES EMPRESAS

Uma boa alternativa para as pequenas empresas é firmar parceria com uma outra empresa de porte um pouco maior que já seja fornecedora de uma grande corporação, para que possa participar de alguma etapa do fornecimento.

10. MANTER A ATRATIVIDADE DO AMBIENTE DO NEGÓCIO (BOAS INSTALAÇÕES FÍSICAS, EQUIPAMENTOS BEM CUIDADOS, CONFORTO PARA FUNCIONÁRIOS E CLIENTES ETC)

O ambiente é o cartão de visitas de um negócio. É importante ficar atento à limpeza, organização e higiene, cuidar da pintura e das condições do mobiliário, por exemplo. Um ambiente confortável e seguro também garante o bem-estar, a segurança e uma maior produtividade dos funcionários.

9 eventos imperdíveis para empreendedores em setembro

08 DE SETEMBRO DE 2014


São Paulo – Confira a agenda de eventos sobre empreendedorismo, franquias e startups que acontecem neste mês no país. Um dos destaques é a versão carioca da Expo Franchising ABF 2014. A feira de franquias deve reunir mais de 200 marcas de vários setores em busca de novos franqueados.

Em São Paulo, acontece a quinta edição do Fórum Internacional de Gestão de Redes de franquias e Negócios, organizado pelo Grupo Bittencourt. Veja os detalhes de todos os eventos abaixo.

1. Conexão KingHost

Tallis Gomes, CEO e fundador do Easy Taxi, e Ana Júlia Ghirello, vice-presidente do bomnegócio.com, estarão em Porto Alegre para participar da 3ª edição do Conexão KingHost, sobre empreendedorismo digital. O evento acontece no dia 3 de setembro, no Teatro do CIEE. A entrada custa a partir de 97 reais.

2. III Salão de franquias

A cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, recebe o III Salão de franquias, dia 4, no CDL (Clube dos Diretores Lojistas). O evento vai das 8h30 às 17h00 e é organizado pela consultoria DubNet. É grátis, mas os interessados devem se cadastrar pelo e-mail uberlandia@dub.com.br.

3. 11º Congresso Estadual de empreendedorismo

Entre os dias 4 e 5, mais de mil empresários devem se reunir para o 11º Congresso Estadual de empreendedorismo, organizado pelo Núcleo de Jovens Empreendedores. O evento acontece no Clube Atlético Aramaçan, em Santo André, região metropolitana de São Paulo, e terá palestras de grandes empresários como Guilherme Paulus, da CVC. A inscrição deve ser feita pelo site e custa 90 reais. 

4. E-Commerce para Pequenos Varejistas

A Faculdade Impacta organiza um encontro sobre e-commerce para pequenos varejistas. A palestra acontece no dia 6 e é gratuita. Esse é o primeiro de uma série de eventos sobre o tema. Solange Oliveira, da Consultoria e-Vision, falará sobre o tema a partir das 10 horas, no Campus Barra Funda da instituição. É preciso se inscrever pelo site. 

5. CCS14 – Conferência Internacional de Crowdsourcing 2014

A Fecomércio-SP recebe a quarta edição da Conferência Internacional de Crowdsourcing entre os dias 4 e 5 de setembro. O evento abordará o futuro do dinheiro e das empresas, com especialistas como Jimmy Wales, co-fundador da Wikipédia. Os ingressos custam 830 reais e podem ser comprados pelo site do evento. 

6. Jornada Internacional de empreendedorismo

No dia 8 de setembro, a IE Business School organiza a Jornada Internacional de empreendedorismo, em São Paulo. Empreendedores de várias partes do mundo estarão presentes. A entrada é gratuita, mas é preciso se cadastrar no site do evento. 

7. 5º Fórum Internacional de Gestão de Redes de franquias e Negócios

O Grupo BITTENCOURT promove entre os dias 16 e 17 o 5º Fórum Internacional de Gestão de Redes de franquias e Negócios. O evento discute tendências do mercado de franquias e espera receber 600 participantes. As inscrições custam a partir de 1830 reais e podem ser feitas pelo site do fórum. 

8. 3ª Conferência Campinas startups

No dia 19 de setembro acontece em Campinas a terceira edição do evento voltado para startups. O tema deste ano é como as falhas ajudam a chegar ao sucesso. Entre os palestrantes estarão executivos da Samsung, da ClearSale e da China in Box. O evento será no Auditório CPqD e os ingressos custam a partir de 115 reais através do site.

9. Expo Franchising ABF-Rio 2014

O Rio de Janeiro vai sediar uma das dez maiores feiras de franquias do mundo entre os dias 25 e 27 de setembro. O evento acontece no RioCentro, das 13 às 22 horas, com horário especial no sábado, até as 21 horas. O ingresso para um dia de visitação custa 40 reais.

Fonte: http://www.informabrasil.com.br/preview_news_integra.php?materia=1803923&identd=1039&idusri=6382

15 dicas sobre direito que todo empreendedor precisa saber

Conheça as dicas para lidar com os aspectos societários, trabalhistas e tributários da sua empresa

Por Endeavor Brasil 
Fique dentro da lei com essas dicas (Foto: Shutterstock)
dentro da lei_lei_receita federal (Foto: Shutterstock)

Todo empreendimento está constantemente envolvido em questões legais. Seja na hora de pagar um imposto, fechar um contrato, lançar uma marca, uma sociedade, ou mesmo fazer uma venda e lidar com o cliente.

Pensando nessas dificuldades, a Endeavor preparou uma seleção de 15 respostas dos melhores especialistas do Brasil para as dúvidas mais comuns dos empreendedores sobre aspectos jurídicos.
Conheça melhor sobre aspectos societários trabalhistas e tributários para te ajudar a enfrentar esses desafios. Quanto maior o sonho, maior a disposição para enfrentar os obstáculos. Clique nos títulos para ler matérias especiais sobre cada tema.
1. Quais são as possíveis formas legais de estruturar seu negócio no Brasil? Quais as consequências da ausência de registro? Ao abrir o seu negócio, um dos pontos muito importantes que o empreendedor deve considerar é a estrutura legal que irá adotar.
2. Quais as diferenças, vantagens e desvantagens de cada estrutura legal de sociedade? Descubra as diferenças, vantagens e desvantagens de cada estrutura legal para saber qual é a mais adequada ao negócio dos seus sonhos.
3. O que é um Acordo de Acionistas? Qual a diferença entre um MOU e um acordo de acionistas? Rodrigo Vella explica as principais diferenças entre o Acordo de Acionistas e o Memorando de Entendimentos (também conhecido como MOU ou LOI).
4. Quando fazer um acordo de acionistas? O que ele deve conter? Se o acordo de acionistas for bem feito, vai estar empoeirado antes que você precise lê-lo de novo.
5. Quais são as clausulas mais importantes do acordo de acionistas? O que são e no que implicam? O que deve conter para evitar atritos entre socios?  Rodrigo Vella explica que o Acordo de Acionistas pode variar de caso para caso, mas em linhas gerais, os aspectos que não podem faltar são: governança; transferências de ações; e solução de impasse.
6. Como saber se preciso fazer uma Reestruturação Societária? Quais são os principais aspectos e pontos de atenção? Entenda que cada negócio tem sua dinâmica e maturação própria, por isso, não existe prazo especifico após o início das atividades para virar a chave e promover mudanças legais na sua empresa.
7. Participação societária: como dividir as fatias do bolo? Porque 50/50 é uma divisão ruim? Roberto Quiroga discute as diversas formas com que o Direito está inserido na vida de um empreendedor, em todas as etapas do negócio.
8. O que é vínculo empregatício? Quais são os direitos de um empregado?  Todo empreendedor precisa saber o que define o vínculo empregatício para evitar irregularidades e se prevenir contra ações, tendo informações organizadas e sempre à mão.
9. O que é pro-labore? Quem pode receber nesse modelo de pagamento? Entre o correto e a prática, às vezes existe certa distância. Descubra a forma legal de se fazer o pagamento de pro labore antes de assinar os contratos.
10. Como “legalizar” as diferentes formas de remuneração variável? Remuneração variável: Como garantir que estou legalmente fazendo a coisa certa e me precaver de ações trabalhistas.
11. Quais são as principais erros que levam a causas trabalhistas? José Carlos Wahle explica quais os principais erros cometidos pelos empreendedores relacionados a aspectos trabalhistas. Ele enfatiza os efeitos nocivos de quando uma prática errada vira um hábito dentro de uma empresa.
12. Como evitar problemas jurídicos ao estabelecer metas para os funcionários e remuneração variável? José Carlos Wahle conta como usar as diferentes formas de remuneração variável de acordo com a lei e, principalmente, de uma forma alinhada com os objetivos de longo prazo da sua empresa.
13. Quais são os tipos de demissão possíveis? Como evitar causas trabalhistas ao demitir um funcionário?  José Carlos Wahle explica a importância de se ter um processo de desligamento cuidadoso, pois o ressentimento é um motivador muito forte para processos trabalhistas.
14. Quais os principais tributos para empresas? Qual a periodicidade de recolhimento de cada um? Fazer uma boa administração tributária desde o começo pode fazer toda a diferença no sucesso do seu negócio.
15.  O que não pode faltar no meu Termo de Uso?  Conheça os pontos que não podem faltar no seu Termo de Uso e entenda que é importante mantê-los atualizados à medida que o negócio evolui.

Workshop gratuito ajuda a identificar perfil empreendedor

Consultores vão avaliar características 

para identificar se participantes são 

empreendedores ou empresários.


Empreender é menos complicado do que se pensa, basta fazer as perguntas certas

Na sexta-feira, 29 de agosto, todas as pessoas que sonham em trabalhar por conta própria podem participar de workshop do Grupo Ornatus, que acontece das 9h às 13, no Polo Empresarial Tamboré, em São Paulo.
Aberto ao público e sem custo, o evento tem como convidada especial a diretora da consultoria Vecchi Ancona – Inteligência Estratégica, Ana Vecchi, profissional com mais de 20 anos de experiência no segmento de franquias, tanto no Brasil quanto no exterior.
Ana Vecchi vai palestrar a respeito do tema “Empreendedor X Empresário – Descubra o seu perfil!”. O objetivo é fazer com que as pessoas promovam uma avaliação de suas características, aptidões e capacidades para entender se são empreendedoras ou empresárias. “A maior parte das pessoas fica tão focada no sonho de ser seu próprio patrão que acaba não observando quais são as suas qualidades e também suas dificuldades. Esse conhecimento é importantíssimo antes de definir em que tipo de negócio investir”, avalia a especialista.
Além de Ana Vecchi, profissionais de marcas como Jin Jin Wok, Morana, Balonè, My Sandwich, entre outras, também palestram no Workshop a respeito de temas como “O mercado de shoppings centers”, “Oportunidades de novos negócios” e contam cases de sucesso.
“Será um evento muito rico em conteúdo, com discussões importantes sobre soluções inteligentes para o mundo do franchising”, diz Ana Vecchi.
SERVIÇO:
Workshop Grupo Ornatus
Dia 29 de Agosto, das 9h às 13h
Polo Empresarial Tamboré
Alameda Ásia, 382 – Santana de Parnaíba – SP
Confirmação de presença: (11) 2110-3300 – Entrada gratuita

Na visão de um Marketólogo: Quais os Pontos fortes e fracos de se comprar uma micro ou pequena empresa



Colunista de Marketing Milton Silveira



As micros e pequenas empresas representam cerca de 20% do PIB Nacional ou um pouco mais de 1 trilhão. A taxa de mortalidade nesses últimos 10 anos vem diminuindo.

Segundo o SEBRAE, em Julho de 2013, a sobrevivência chegou há 76%. 
Mesmo assim ainda existem 24% que não chegarão aos 2 anos de existência, são empresas  em sua maioria do setor de serviços, que por falta de planejamento ou experiência em gestão, simplesmente fecham suas portas.

Então é nesse momento, onde surge a oportunidade para o empresário/investidor, com uma visão  de expansão de negócios, de adquirir tais empresas. Mas quais os principais pontos fortes e fracos de se comprar uma micro ou pequena empresa?

Pontos fortes:

Análise e auditoria do negócio: antes de adquirir  uma micro ou pequena empresa, o comprador tem a oportunidade de analisar e Auditar o histórico da mesma; 
Ponto comercial comprovado e aprovado: com o negócio já funcionando, o ponto comercial do mesmo, já possui certa identidade positiva, evitando, a busca de um novo local estratégico;
Carteira de clientes: a empresa que já atua no segmento durante um período, possui uma carteira de clientes que será repassada ao novo proprietário que terá de reter e atrair mais consumidores para alavancar o sucesso da mesma;
Chances de fracasso reduzidos: o comprador ao adquirir o negócio,  já esta ciente de seus  riscos anteriores, podendo então, foca-se  a uma gestão de marketing para obter resultados almejados.
Pontos fracos:


Entender os motivos da atual situação: na maioria dos casos, deve ser existir uma adaptação do comprador à cultura existente; caso contrário, uma atitude mal planejada poderá não alavancar a empresa rumo ao sucesso;


Atitudes: uma transformação é necessária, todo mundo quer crescer. Não se pode ficar restrito aos serviços antigos não atendendo às novas tendências, pois são fatores que poderão prejudicar o sucesso do negócio;


Não estudar bem o negócio: é recomendado que o comprador deva estudar profundamente o negócio, identificando os riscos e as oportunidades;


Não ligar para a concorrência: é vital ver o que o mercado está oferecendo. Não é porque a empresa foi comprada há pouco tempo que não precise fazer um benchmarking. Ou seja um exame minucioso de como as concorrentes realizam uma função específica a fim de melhorar como realizar a mesma ou uma função semelhante.

Após analisar os principais pontos fortes e fracos do novo negócio, será necessário desenvolver estratégias de marketing reativas, elaborando um Planejamento Estratégico que tem como objetivo analisar o contexto externo onde a empresa está inserida. Isto porque estamos refletindo sobre uma variável não controlável e é importante que a empresa se prepare para esta realidade, buscando cada vez mais o conhecimento para se obter o sucesso desejado.

Milton SilveiraMarketólogoex-professor universitário das disciplinas de Administração, Empreendedorismo e Marketing. Tem MBA em Marketing Estratégico e Graduação em Administração com Habilitação em Marketing, pela FARN, Faculdade Natalense para o Desenvolvimento do RN. Atualmente trabalha no setor financeiro da  Big Art co; em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

11 erros de quem decide empreender online


Respondido por Fernando de La Riva, especialista em negócios digitais
Os empreendedores costumam errar e aprender com seus erros. No mundo online, não poderia ser diferente. Veja os erros mais comuns e tente evitá-los ao abrir um negócio digital
1. Empreender sozinho: temos uma evidência empírica: ninguém nunca conseguiu fazer uma startup relevante sem sócios. Até o Jorge Paulo Lemann soube se apoiar em Marcel Telles e Beto Sicupira. Quando você está sozinho, é muito fácil confundir visão com alucinação.
2. Escolher um mercado pequeno: algumas vezes você escolhe um nicho tão específico que simplesmente não tem dinheiro lá. Se você não conseguir provar que seu negócio é relevante ou se você pegar 5% do mercado, a briga acaba no começo.
3. Lançar muito tarde: o movimento de lean (enxuta) startup atacou a causa raiz da primeira bolha de internet: o processo clássico de desenvolvimento de produto, que faz com que de forma rígida você só comece a validar seu modelo de negócio quando já se passou muito tempo e você gastou boa parte do seu dinheiro. Isto produziu desastres como a Iridium, que levou tanto tempo para começar a validar o modelo de uma rede mundial de telefonia por satélite que quando entrou no mercado já existia a rede interconectada de celular.
4. Levantar pouco dinheiro: startups precisam de dinheiro. Se por um lado a regra geral é que você tem que tentar protelar ao máximo a busca de capital externo para evitar frustração, perda de foco e diluição muito cedo, você deve tentar levantar capital para 18 meses.
Seis para tentar validar um primeiro conjunto de hipóteses, seis para implementar uma correção séria de estratégia e seis para fazer um novo round de financiamento. Além disso, os custos de consultoria legal e contábil e de tempo para fazer um round muito pequeno são parecidos com rounds maiores.
5. Escolher mal seu time: Dave Mcclure disse que a composição ideal de um time de startup é um hustler (marketing/negócios), um hacker (técnico) e um designer (de produto). Todos os fatores são igualmente importantes e críticos para sobrevivência do seu negócio.
Como você toma decisões de escolha de sócios muito cedo, empreendendo possivelmente com seus amigos, você pode ter um time desbalanceado e pouco heterogêneo, o que é fatal.
6. Dedicação parcial: uma startup de tecnologia é uma trajetória dificílima que deve ser encarada com as 24 horas de cada um dos sete dias da semana com dedicação. Está longe de ser um negócio de dedicação parcial de corpo ou de espírito.
Se você está tentando uma renda extra para complementar seu trabalho de dia, empreender em tecnologia não é a solução. A coisa fica pior se os sócios derem dedicação em níveis diferentes, o que é uma causa muito comum em brigas de fundadores que podem matar sua startup.
7. Não estar pronto para empreender: se você acabou de ter um filho, comprou um apartamento, tem dívidas para pagar e a sua startup é a única fonte de renda da sua casa e você não tem reservas, você não vai aguentar o tranco e vai muito rapidamente ter que voltar frustrado para o mercado?
Tente responder de forma franca estas perguntas e divida isto com sua família, caso contrário você pode perder mais coisas além do seu negócio.
8. Não se preparar: existe vasta literatura sobre ser empreendedor digital (algumas até que járesumi aqui) e sobre o seu mercado que você deve cobrir antes de pular no vazio.
O processo de aprendizado garante que o máximo possível aconteça de forma teórica antes de a música começar, senão você corre o risco de pagar uma conta de custo de aprendizado maior do que imagina.
9. Ser arroz de conferência: enquanto você está participando do vigésimo meetup, startup weekend ou tentando fazer pitch de investimento até para sua sombra, você não vai estar na sua empresa tentando validar seu modelo de negócio.
10. Gastar demais: você não está no Vale do Silício. O dinheiro no Brasil não é farto, e você deve gerir a sua taxa de gastos mensais dividindo o dinheiro que você tem no banco por ela e chegando na quantidade de meses que você tem de vida. É duro e simples assim.
11. Não saber a hora de parar: a decisão mais difícil do empreendedor é a de persistir, pivotar ou parar. Algumas vezes infelizmente você vai ter que parar e isso não é nenhum demérito. A
lgumas maratonas não são feitas para serem terminadas e você vai levar esta experiência de aprendizado para sua próxima. Tenha em mente qual é seu custo e plano de fechamento e quando tiver chegado ao final do seu caixa, faça reduções drásticas de custo para ganhar tempo e, eventualmente, ter uma aterrisagem suave, que não produza uma cratera lunar.
Fernando de La Riva é especialista em negócios digitais e sócio da Concrete Solutions.

SEBRAE: Como iniciar bem um novo negócio

Publicação apresenta informações para o empresário que deseja começar um negócio com mais chances de sucesso.

Para iniciar bem um negócio é preciso pesquisar e obter conhecimentos que são decisivos em todas as etapas da empresa. Por isso, nessa publicação, o Sebrae chama atenção para as habilidades necessárias ao empreendedor para atuar no mercado.

Considere todas essas informações como ponto de partida e busque, começando por este manual, o conhecimento necessário para uma exploração competente do negócio que deseja montar.

O Sebrae acredita que se o empreendedor souber o que tem de fazer encontrará um meio de fazer o que precisa ser feito. Nosso objetivo é desafiar você a ter domínio sobre os aspectos importantes desse negócio. Portanto, aqui há desafios relacionados com os aspectos de gestão que você precisa entender e aprender sobre o negócio que deseja montar, já que resposta padrão de como montar determinado negócio e ter sucesso simplesmente não existe.

Muitos são os caminhos que levam ao sucesso da empreitada “montar um negócio”. Mas muitas também, infelizmente, são as possibilidades de falhas.

Por isso procure identificar o maior número possível de empresas que atuam nesse ramo de negócio e descubra tudo sobre a forma como operam. A presente publicação traz um exemplo de como a atuação em parceria pode, de forma criativa, apoiar os empreendedores a nascer e crescer fortes.